Pós Graduação em Saúde Coletiva

Pós-Graduação em Odontologia

Área de concentração: Saúde Coletiva

Diretor do Programa:

Prof. Dr. Sérgio Vieira

Coordenadora da área de concentração em Saúde Coletiva:

Simone Tetu Moysés

maito: simone.moyses@pucpr.br

Professores do Núcleo Referencial Docente da Área de Concentração (Orientadores):

Prof. Dr. Samuel Jorge Moysés

Profª. Drª. Simone Tetu Moysés

Profª. Drª. Beatriz Helena Sotille França

Clientela:

Cirurgiões-dentistas, demais profissionais da área da saúde e áreas correlatas

Proposta do Curso
Formar profissionais qualificados para desempenharem, em nível de excelência, atividades de pesquisa e docência, bem como para exercerem liderança em serviços de saúde e áreas sociais correlatas. O curso visa desenvolver as seguintes competências, habilidades e aptidões em seus alunos:

  • Interpretar tendências globais em saúde humana nos aspectos sociais, demográficos e epidemiológicos.
  • Identificar processos políticos e econômicos, internacionais e nacionais, que estimulam/limitam o desenvolvimento de políticas integrais de saúde.
  • Avaliar condições estruturais e conjunturais, que são determinantes dos modos de produção e reprodução da sociedade,  e seu impacto na organização e implementação de sistemas, serviços e ações de saúde.
  • Investigar os principais fatores de risco e fatores protetivos comuns aos problemas de saúde da população.
  • Relacionar os diferentes processos sociais, culturais, comportamentais, biológicos, entre outros, que interferem na dinâmica dos problemas de saúde de indivíduos, famílias e na comunidade.
  • Elaborar planos de intervenção resolutiva na área de saúde, com especial enfoque na prática de saúde baseada em evidências.
  • Validar estratégias, técnicas e instrumentos de natureza transetorial, transdisciplinar e multiprofissional que se mostrem adequados à complexidade da situação de saúde e do sistema de saúde dos brasileiros.
  • Selecionar ética e criticamente a produção científica e inovação tecnológica que se mostrem metodologicamente robustas e socialmente válidas, para apoiar a tomada de decisão em instituições de saúde.
  • Valorizar o protagonismo em defesa de sistemas de saúde que fortaleçam a participação da sociedade, ampliem o acesso com qualidade aos serviços e elevem o patamar de dignidade e cidadania da população.
Justificativa
A oferta do curso leva em conta a necessidade de formar profissionais com alto nível de qualificação para identificar problemas relevantes em saúde coletiva e, fundamentados no rigor científico e na ética humanista, realizar práticas investigativas que apresentem respostas a tais problemas.

Nos últimos anos, observa-se uma tendência à reorganização das práticas na área da saúde pública (coletiva), buscando a inclusão sanitária dos cidadãos e a atenção universal, bem como na área privada, buscando efetividade e racionalização gerencial e tecnológica. Há movimentos mundiais voltados ao incentivo à atenção domiciliar, à humanização dos cuidados – com o crescimento de uma atenção de custo sustentável, praticada por equipes multiprofissionais.

Como decorrência imediata desse movimento de reorientação das modalidades de atenção, têm surgido – em várias partes mundo – demandas e pressões para que se formem profissionais com perfil e capacidades distintas das produzidas pelo modelo hegemônico de ensino superior.

Também no Brasil há a necessidade de transformar as práticas e de reorganizar a atenção à saúde e a integralidade é o princípio orientador dessa mudança. A construção do Sistema Único de Saúde (SUS) é uma importante reforma de Estado no Brasil, construída com base na mobilização de amplos setores sociais. O sistema de saúde está baseado em princípios e valores de grande impacto social e institucional: conceito ampliado de saúde, visando à produção social de populações e ambientes saudáveis; promoção da saúde e ação intersetorial; integralidade da atenção e controle social. O SUS tem enorme capilaridade social, já atingindo milhões de cidadãos.

Embora segmentos importantes das instituições de educação superior  participem da construção do SUS, identifica-se, ainda, a premência de promover mudanças na formação profissional em saúde. A formação vigente, marcada por um paradigma biomédico mecanicista, não conseguiu lograr êxito no desenvolvimento de paradigmas de saúde que atendem às necessidades de saúde da maioria dos brasileiros. Em última análise, os profissionais formados, com foco no desenvolvimento de habilidades pessoais, clínicas e/ou cirúrgicas, em sua ampla maioria para atuação no mercado privado, não desenvolvem as competências para operar socialmente de modo a influenciar na formulação de políticas públicas, com vistas à saúde coletiva. O diagnóstico acima não é novo, mas por muito tempo foi visto com perplexidade e/ou desinteresse.

Auspiciosamente, as intervenções na realidade, necessárias à construção de novos processos sociais na formação e no trabalho em saúde, começam a ter agora grande impulso. Seja pelas novas exigências do mercado de trabalho, seja pela força de políticas públicas de saúde que se enraízam em nível loco-regional, seja pela oportuna implementação da LDB e das Diretrizes Curriculares Nacionais nos cursos de graduação, um potente e renovado alento vêm sendo dado para as questões da saúde das populações, com temáticas que dizem respeito à saúde coletiva.

As questões acima apontam para a transformação das práticas profissionais e da própria organização da agenda prioritária da pós-graduação, com impacto na pesquisa em saúde e no trabalho docente. A problematização do processo de formação e trabalho e sua capacidade de dar acolhimento e cuidado às várias dimensões e necessidades em saúde dos indivíduos, suas famílias e das populações. A formação de profissionais na graduação exige, por seu turno, a preparação prévia de docente-pesquisadores aptos a interpretar esta nova realidade e agir proativamente para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação em saúde, com preocupações sociais crescentes.

Assim, a pós-graduação stricto sensu ganha especial destaque na implementação clara e precisa de uma formação para as competências gerais necessárias a uma prática científica de qualidade, uma formação que desenvolva a capacidade de análise crítica de contextos, que problematize os saberes e as práticas vigentes e que ative processos de educação permanente na área da saúde. Para ampliar a qualidade da atenção à saúde da população brasileira, portanto, é essencial orientar também as pós-graduações em saúde à busca de novos referenciais, que ampliem a compreensão da clínica e incluam repertórios teóricos, metodológicos e de prática oriundos da saúde coletiva.

A PUCPR é, hoje, uma instituição que busca consolidar o campo temático da saúde coletiva nos seus vários cursos de graduação, bem como na pós-graduação. Já são duas especializações correntemente sendo ministradas, uma multiprofissional e outra dirigida a cirurgiões-dentistas. Na pós-graduação stricto sensu, a saúde coletiva também é uma linha de pesquisa no mestrado multiprofissional em tecnologias em saúde.

A maturidade de produção acadêmica e inserção interinstitucional permitiu inscrever a PUCPR no universo das instituições produtoras de conhecimento na área de concentração em saúde coletiva, atualmente nos cursos de mestrado e doutorado alocados no programa de pós-graduação em odontologia, mas com enfoque multiprofissional.

A área de concentração em saúde coletiva oferecida leva em conta duas idéias-força, que orientam o desenvolvimento da pós-graduação na PUCPR: A empregabilidade e inserção sócio-institucional dos seus egressos e um esforço articulado para intensificar e compatibilizar a qualidade, o crescimento e a inovação. Enfatiza-se, assim, a universidade e a pós-graduação como espaços que:

  • propiciam o aprendizado permanente;
  • contribuem para a consolidação da cidadania democrática;
  • reforçam suas funções críticas e progressistas;
  • utilizam sua capacidade intelectual e prestígio moral para defender e difundir ativamente valores da ética humanistas;
  • aportam sua contribuição para o tratamento dos problemas que afetam o bem estar das comunidades onde atuam;
  • fomentam a inovação e a transdisciplinaridade.

A área de concentração em saúde coletiva, da PUCPR, valoriza as dimensões técnicas da qualificação em nível da pós-graduação, sabendo que elas são inseparáveis das dimensões humanas. A qualificação profissional inclui qualificação para a cidadania, destacando não apenas o ensino como produtor de aprendizagem, mas também a pesquisa como produtora de ensino.

Por último, argumenta-se que um processo educacional que é incapaz de produzir pessoas dotadas do hábito de aprender por toda a vida, termina por roubar delas sua capacidade potencial de lidar com situações desconhecidas, que é a tônica da pós-modernidade.

Estrutura Curricular
Os cursos de mestrado e doutorado estão de acordo com os dispositivos legais e normativos que regem a pós-graduação estrito senso no Brasil, sendo integrantes de Programa de Pós-Graduação aprovado pela CAPES.

A carga horária do curso de mestrado é distribuída em quatro (4) semestres letivos, incluindo o período de confecção de dissertação. O regime de dedicação é flexível, intercalando atividades teóricas presenciais, combinadas com atividades de orientação/supervisão à distância, definidas pelo professor-orientador, mais atividades práticas de estágio docente e de pesquisa de campo.

A carga horária do curso de doutorado em saúde coletiva prevê um total de seis (6) semestres letivos, com créditos ligados a disciplinas que são obrigatórias, distribuídos em 6 disciplinas, sendo uma delas relativa ao desenvolvimento da tese. As disciplinas obrigatórias são desenvolvidas semanalmente, nas segundas e/ou terças. Disciplinas eletivas podem ser revalidadas, a partir da análise, pelo colegiado do curso, do histórico do Curso de Mestrado. Outras devem ser cursadas, inclusive em outras instituições, dependendo do interesse específico do aluno com foco em seu tema de tese, definidas em conjunto com o orientador.

Os cenários de práticas serão diversificados, incluindo a rede de Unidades de Saúde de Prefeituras e Instituições parceiras (sobretudo da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba), Laboratórios de Informática, Bibliotecas e demais unidades da PUCPR.

 

Conteúdo Programático do curso de Mestrado

 

Período Disciplinas CH
1 Literatura Aplicada I (Revisão Sistemática da Literatura)

Estágio de Docência Supervisionado I

Epidemiologia I

Políticas de Saúde

Promoção de Saúde Bucal Baseada em Evidências

Processos Pedagógicos do Ensino Superior

Ética

30

45

15

15

30

45

15

Subtotal 195
2 Literatura Aplicada II (Revisão Sistemática da Literatura)

Estágio de Docência Supervisionado II

Epidemiologia II

Bioestatística e Informática

Epistemologia

Bioética

Gestão do processo de Trabalho em Saúde

30

45

30

15

15

15

15

Subtotal 165
3 Literatura Aplicada III (Revisão Sistemática da Literatura)

Estágio de Docência Supervisionado III

Epidemiologia III

Planejamento Estratégico em Saúde Coletiva

Sistemas de Informação e Avaliação em Saúde Bucal

30

45

15

15

15

Subtotal 120
4 Estágio de Docência Supervisionado IV

Epidemiologia IV

Seminários de Dissertação

45

15

60

Subtotal 120
Total de disciplinas 600
Dissertação 495
Total Geral 1095
 

Conteúdo Programático do curso de Doutorado

 

Período Disciplinas Obrigatórias (não estão listadas as disciplinas eletivas) CH
1 Epidemiologia I 45
Subtotal 45
2 Elaboração e análise de projetos de pesquisa 60
Subtotal 105
3 Estruturação de artigos científicos 45
Subtotal 150
4 Métodos quantitativos e qualitativos 45
Subtotal 195
5 Seminários avançados em Saúde Coletiva 75
Subtotal 270
6 Redação da tese 180
Total Geral 450
Professores
Ana Maria Trindade Grégio
Beatriz Helena Sottile França
Edvaldo Antonio Ribeiro Rosa
Elisa Souza Camargo
Evelise Machado de Souza
Fernando Henrique Westphalen
Luiz Fernando Pereira
Luciana Reis de Azevedo
Marina de Oliveira Ribas
Orlando Tanaka
Paula Cristina Trevilatto
Paulo Henrique Couto Souza
Rodrigo Nunes Rached
Rui Fernando Mazur
Samuel Jorge Moysés
Sérgio Aparecido Ignácio
Sérgio Vieira
Simone Tetu Moysés
Wilson Denis Benato Martins
Linhas de pesquisa
EpidemiologiaDiagnóstico e Terapêutica

Políticas de Saúde

Biossegurança e Bioética

Biomateriais e fármacos

Apoio InstitucionalNúcleo de Saúde Coletiva e Promoção da Saúde da Aliança Saúde-PUCPR (NUSC/PRO)

Centro Colaborador do Ministério da Saúde em Vigilância em Saúde Bucal