Início

Saúde Coletiva
CECOL

O que é a Universidade Saudável?

Universidade Saudável é, ao mesmo tempo, um conceito, uma prática e uma idéia-força de mobilização internacional voltados para a promoção da saúde em ambientes e espaços sociais. A universidade, seja ela pública ou privada, é um destes espaços. Quando a idéia se torna projeto institucional, este pode, eventualmente, receber a chancela de organismos internacionais como a Organização Pan-americana de Saúde. É o caso, por exemplo, da Universidade de Toronto, pioneira na implementação do projeto de modo articulado.

Esta página é parte do esforço de implementação do conceito e das práticas de Universidade Saudável em Curitiba. De antemão, é conveniente ressaltar que não compartilhamos de visões ingênuas, positivistas, prescritivas ou comportamentalistas, sobre promoção da saúde. Muito menos confundimos Promoção da Saúde com prevenção de doenças. Mas acreditamos na força política e cultural transformadora que a instituição universitária pode exercer, caso se alie aos interesses dos povos, sobretudo dos mais frágeis, horizontalizando o conhecimento e produzindo intervenções que reduzam a carga de miséria, sofrimento, doença e morte precoce.

Pretendemos avançar nas questões pautadas internacionalmente, tais como pela Conferência da UNESCO (1998), sobre o futuro do ensino superior, e pelas reflexões de Edgar Morin (2000), sobre os desafios da educação neste século XXI. Esta página é também uma forma de prestar tributo a um dos mais influentes educadores do século XX, Paulo Freire, cujo pensamento e ação foram antecipatórios das principais tendências educacionais que deveremos experimentar nas próximas décadas. Dentre os desafios para uma Universidade Saudável (e contemporânea) está a discussão dos problemas que as novas realidades impõem, podendo-se destacar:

1) Ser uma comunidade comprometida com a produção e difusão do conhecimento e do avanço científico, tecnológico e cultural;

2) Aprimorar um ensino qualificado e responsável, irradiado nos espaços de construção da cidadania e a serviço do desenvolvimento social;

3)Constituir-se numa comunidade em que questões sejam apresentadas e debatidas, permitindo propostas e soluções importantes para o desenvolvimento regional, nacional e internacional;

4) Ser um referencial para que as instituições públicas e privadas possam adquirir informações científicas e tecnológicas para a tomada de decisões.

Além da agenda propositiva anterior, cabe também pensar a Universidade como espaço em que o processo saúde/doença – vetor para a qualidade de vida – manifesta-se em vários de seus aspectos: seja para os milhares de cidadãos que fazem parte da comunidade interna (usuários, funcionários, alunos, dirigentes e professores), seja para a comunidade externa, freqüentemente alcançada por projetos de extensão, pesquisa e ensino-aprendizagem. Para estas duas comunidades que, a rigor, se entrelaçam numa mesma sociedade de consensos e conflitos, cabe propor uma ampliação orgânica da agenda já apresentada:

5) A construção de infra-estrutura de apoio e de suporte social, capaz de dinamizar o desenvolvimento da Universidade Saudável, tendo como eixo fundamental de ação o combate as iniquidades sociais;

6) A implementação de esforços integrados multidisciplinares para a inclusão social e a promoção de saúde voltada para toda a comunidade universitária, no ambiente da Universidade (campus), ou nos espaços de intervenção fora das instalações da Universidade;

7) O delineamento de métodos avaliativos que favoreçam o monitoramento da implementação e eficácia da Universidade Saudável;

8) A integração da Universidade Saudável com a vida pulsante da comunidade onde esteja situada, especialmente na contribuição com o desenvolvimento de políticas públicas saudáveis.

Estas são nossas breves palavras introdutórias. Esperamos que a página lhe seja enriquecedora e inspiradora para a ação. Aqui você encontrará meios para interagir com uma comunidade de interessados na solidariedade, na justiça social e democratização do conhecimento.

Profª Simone Tetu Moysés

Prof. Léo Kriger

Prof. Samuel Jorge Moysés

Para maiores informações: simone.moyses@pucpr.br